Notícias

Acidentes de moto mais frequentes

Em: 08/10/2009
Nesta segunda-feira (05), você viu no Bom Dia Ceará uma reportagem sobre o acidente de moto que matou o pároco da igreja do Cristo Redentor. Foi mais uma vítima fatal em uma cidade onde a frota de motos avança mais rapidamente que as política públicas para proteger motoqueiros e garupas.
Um descuido e a moto vira no asfalto. Essa cena é cada vez mais frequente no trânsito de Fortaleza. Todo dia é possível encontrar vários acidentes envolvendo motos. Em todos eles, fica a pergunta: de quem é a culpa? No fim da tarde do último domingo (04), mais uma vítima, dessa vez com morte. O padre Carlos Augusto Alcântara Lima, de 46 anos, não resistiu ao grave acidente na avenida Leste- Oeste. A moto em que trafegava na garupa freou para não colidir com um ônibus. O religioso foi lançado contra um poste, bateu a cabeça e morreu na hora.

O perigo sobre duas rodas faz parte do caminho dos motoqueiros. A facilidade em trafegar sempre na frente, a economia de tempo e o transporte mais barato não estão compensando o risco de acidentes para os motoqueiros. O mototaxista Raimundo Martins já se acidentou três vezes. No último, foi vítima do próprio companheiro de transporte. “Ele vinha em alta velocidade, em outra moto. Aí, foram tentar tirar, não deu, bateu, e eu caí bem longe”, relatou Raimundo.

De janeiro a setembro do ano passado, foram quase 2 mil acidentes com motos registrados no maior hospital de emergência de Fortaleza. Esse ano, o número dobrou, em parte por causa do aumento do número de motoqueiros pelas ruas da cidade.

Nos últimos cinco anos, o Departamento de Trânsito registrou um aumento de quase 90% na frota de motocicletas em todo o Estado. O índice de violência dos acidentes com motos do Interior chegou à Capital, onde o registro é de quase 80%. Depois dos pedestres, os motociclistas são os que mais morrem em acidentes de trânsito. “Em torno de 50% dos acidentes de trânsito são de moto, porque a população continua não utilizando o capacete nem as outras ferramentas de proteção”, informou Romel Araújo, diretor da emergência do IJF.

Um aviso aos mais apressados: muitas vezes, a morte pega carona na velocidade, por isso, dê preferência à vida. “A moto não precisa você correr para ser rápido. Ela é melhor quando o trânsito está parado, que devagarzinho você ultrapassa”, disse o mototaxista Francisco Timbó.

http://bit.ly/RfJpV - Fonte Abramet

Disponível em:
http://tvverdesmares.com.br/bomdiaceara/acidentes-de-moto-mais-frequentes/