Notícias

A importância do cinto de segurança

Em: 25/02/2011


Cinto de Segurança


Protege a vida e diminui as conseqüências dos acidentes de trânsito sob o corpo humano, impede também que soframos impactos com partes internas do veículo e também não somos arremessados para fora dele.

Tipos de cintos de segurança

O Cinto de Três Pontos: Oferece maior proteção porque a força do impacto é distribuida e absorvida por ele em toda área de contato com o corpo, trabalhando com a estrutura esquelética humana adulta. Para usá-lo corretamente devemos sentar com a coluna ereta fazendo um ângulo de noventa graus com as pernas, daí o cinto diagonal passa pelo meio do ombro e se estende pela coluna vertebral até o engate nos quadris e o cinto sub-abdominal ou pélvico deve ser colocado na articulação dos quadris e não na barriga.

O Cinto Diagonal: Preso atrás do ombro e ao lado do quadril, impede que a pessoa seja lançada para a frente, mas o corpo pode passar por baixo do cinto, causando lesões no pescoço e até mesmo estrangulamento, isto é chamado efeito submarino.

Cinto de Dois Pontos, Sub-Abdominal ou Pélvico: colocado na articulação dos quadris, não impede que o corpo se dobre e seja arremessado para a frente, causando lesões no tórax, pescoço e cabeça.

Seja qual for o modelo, não pode ser usado torcido, embaixo do ombro, desgastado pelo sol, as fibras das cintas se desprendendo, amarrado, costurado, sistema de engate-desengate e estiramento defeituoso, modificado ou não instalado por profissionais com conhecimento específico, banco reclinado, postura torácica inadequada, isto anula o sistema de segurança. Nestes casos se acontecer acidentes, não foi o cinto o causador das lesões e mortes, já que assim ele não era mais dispositivo de segurança.

As crianças até os dez anos de idade, observar abaixo também a altura adequada, devem ser transportadas no banco traseiro do veículo, devidamente sentadas em cadeiras especiais. Para as pequenas, existem dispositivos específicos, que são as cadeiras ou assentos de segurança.

Para saber a partir de quando a criança pode utilizar o cinto de três pontos do assento de trás, certifique-se de que ela esteja sentada corretamente no banco, fazendo um ângulo de noventa graus com o tronco e as pernas, a cinta pélvica deve ajustar-se de um lado a outro da articulação do quadril, não na barriga. A cinta diagonal deve cruzar o centro do ombro, não no pescoço, garganta, cabeça ou rosto, passando ao longo do tórax pelo centro. Este ajuste anatômico assegura a eficiência do dispositivo.

A utilização do cinto pélvico e diagonal não são seguros para as crianças e gestantes.

Observar e orientar com carinho para que as pessoas obesas o utilizem corretamente, elas conseguem sentar-se como orientado acima, daí as cintas passam adequadamente pelo corpo. Este cuidado é muito importante porque lesões no tecido adiposo (gordura), geram grandes e incontroláveis hemorragias com alto índice de ôbitos.

Fonte: Educação para o trânsito (www.educaçãoparaotransito.pr.gov.br)