Notícias

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito

Em: 12/11/2009
O próximo domingo, dia 15, é um dia para lembrar a quantidade de vidas perdidas para a violência no trânsito. No mundo, são mais de um milhão de pessoas todos os anos. É um dia de dor, de tristeza. Mas deve ser, também, um dia para se indignar, refletir, cobrar e agir. No Brasil, os números oficiais indicam que 35 mil brasileiros morrem todos os anos em acidentes, mas estima-se que esse número ultrapasse os 50 mil. Por isso, motivos não faltam para que o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito seja uma data de ação. Mas na prática não será bem assim porque a mobilização ainda é muito pequena. Desde 2005, quando a assembleia geral das Nações Unidas aprovou uma resolução para que todos os países definissem o terceiro domingo do mês de novembro como o dia dedicado à memória das vítimas da violência sobre rodas, as manifestações são quase imperceptíveis pelo País afora. Em Pernambuco, nada é feito desde sempre. Aliás, os pernambucanos sequer sabem que esse dia existe. No Rio de Janeiro, graças à criação da Trânsito Amigo %u2013 Associação de Parentes, Amigos e Vítimas de Trânsito (www.transitoamigo.com.br), nascida da dor de um pai que perdeu um filho num acidente, acontecem algumas mobilizações, mas ainda discretas.

A partir deste ano, na tentativa de dar fôlego à data, o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito será itinerante. A cidade que receberá pela primeira vez o projeto é Curitiba, capital do Paraná, que ganhou fama nacional depois que dois jovens foram mortos num acidente provocado por um ex-deputado, comprovadamente alcoolizado e em alta velocidade, que destruiu o carro onde os dois rapazes estavam. Além da tragédia que chocou e revoltou o País, houve um fato relacionado ao caso que ainda é raro quando se trata de acidentes de trânsito: o ex-deputado (ele perdeu o mandato) foi indiciado pela Polícia Civil  pelo crime de duplo homicídio qualificado com dolo eventual. Curitiba vai virar a Capital Brasileira em Memória das Vítimas e em Defesa da Segurança no Trânsito na expectativa de que esse indiciamento sirva de exemplo para a Justiça nos processos de condenação dos crimes de trânsito.  Se você perdeu ou não parentes para a violência no trânsito, não importa. O que vale é aproveitar o dia 15 para refletir sobre a sua atitude no trânsito. Será que você é um cidadão ao volante? Ou vive estressado, com pressa, sendo incapaz de dar a vez ou reduzir a velocidade ao ver alguém atravessar a rua, mesmo que de forma imprudente? Afinal, estar com um carro nas mãos é um dos maiores exercícios de civilidade a que o homem pode ser submetido.




Disponivel em:

http://jc.uol.com.br/coluna/de-olho-no-transito/noticia/2009/11/08/dia-mundial-em-memoria-das-vitimas-de-transito-204913.php